Bomb The Bass

29/10/2018

Bomb the Bass é um pseudônimo de música eletrônica do músico e produtor inglês Tim Simenon .


Como um nome, Bomb the Bass veio da abordagem de Simenon para coletar e mixar sons, enquanto DJing em meados da década de 1980; Ele diz que "amostras foram ou arranhadas ao vivo ou sampleadas e colocadas em loop na parte de cima. Então o conceito era de bombardear a linha de baixo com idéias diferentes, com uma colagem de sons. Bombing era um termo graffiti para escrever, como pessoas "bombardearia" trens ou qualquer outra coisa.

História
Empurrando a agulha: O sucesso acelerado de "Beat Dis"
Enquanto a linha de baixo e as faixas de bateria de "Beat Dis" foram escritas por Simenon, o resto da faixa foi compilado a partir de samples. Tendo já feito um curso de meio período na Escola de Engenharia de Áudio em Holloway , Simenon foi capaz de construir o próprio "Beat Dis" - auxiliado no processo pelo produtor Pascal Gabriel , que passaria a ter seu próprio sucesso como co-autor. produtor de S'Express e uma grande variedade de outros artistas. 

De acordo com a BBC , que apresentou "Beat Dis" em seu show TOTP2 , a faixa contém 72 supostas amostras, incluindo hip hop como Public Enemy , funk (incluindo The Jimmy Castor Bunch ) e Ennio Morricone . Também foram apresentados clipes de diálogo dos programas de televisão Dragnet e Thunderbirds . Conversando com a revista Sound On Sound muitos anos depois, Simenon disse sobre a construção da faixa: "Eu suponho que eu estava sintonizado com o que estava em uso na época e fui capaz de escolher o que eu queria com algum conhecimento de como deveria ser aplicado " 

Ele co-produziu " Buffalo Stance " de Neneh Cherry e, junto com Trevor Horn, co-produziu "Krazy" um remix para a música " Crazy " de Seal .

Jogos de Computador: Xenon 2 Megablast
O Bitmap Brothers cooperou com Tim Simenon para incluir a faixa de hip-hop "Megablast (Hip Hop no Precinto 13)" de 1988 como música-tema para o jogo de computador Xenon 2 Megablast , que também é a origem do subtítulo do jogo. Por sua vez, esta música apresenta muitos samples da música Sly and the Family Stone , " You Can Make It If You Try ", e seu tema parece fortemente inspirado na faixa "The End (Disco Version)" lançada em 1984, que é baseado no tema do filme Assault on Precinct 13, de John Carpenter . [ citação necessário ]

Há duas versões da faixa no jogo: uma versão quase fiel (faltando apenas algumas falas) como a música de carregamento e uma versão simplificada como a música de fundo do jogo. A versão Amiga da música de carregamento é baseada na mesma faixa, mas significativamente diferente, com mudanças como efeitos sonoros de helicóptero no início e no final.

O jogo foi um dos primeiros exemplos de um computador sendo programado para tocar um single pop com precisão razoável. Seções da música foram amostradas e depois re-seqüenciadas (pelo músico de games David Whittaker ). Nas versões de console baseadas em cartucho, a música é radicalmente simplificada, sendo puramente sintetizada e sem as amostras de voz das versões do computador.

Em Território Desconhecido
Em 1991, " Love So True ", com os vocais de Loretta Heywood, foi o primeiro single do novo material Bomb the Bass. Ele sofreu com as regulamentações de censura impostas às pressas (e não oficiais) , como a eclosão da Primeira Guerra do Golfo levou as emissoras britânicas, especialmente a principal estação de música BBC Radio 1 , a colocar uma lista negra de músicas e atos considerados potencialmente controversos devido ao seu conteúdo. ou títulos. O nome da banda Bomb the Bass foi considerado para cair nesta categoria, juntamente com o de Massive Attack . 

Mais uma vez pioneiro de novos sons na arena pública, e após o sucesso de "Winter in July", Território Desconhecido seria o lançamento mais bem recebido da banda até o momento. Revendo o álbum na época, o escritor e autor Simon Reynolds tentou delinear um novo gênero, sugerindo que, indo além de meras faixas de dance em álbuns totalmente coesos, a banda estava se aventurando na dança progressiva . 

Entrevistado para a revista Sound on Sound em 1995, Simenon concordou com o entrevistador quando foi sugerido que, com esse lado mais frenético de seu trabalho, ele estava procurando "combinar a arte da amostragem com a energia do rock and roll". 

Quebre a batida: bombardeie o baixo como equipamento de produção
O projeto do álbum Gavin Friday, Shag Tobacco , não só catapultou a sexta-feira para o mainstream (gerando a faixa "Angel", que alcançou a imensa trilha sonora do filme Romeu & Julieta ), mas também chamou a atenção de um par de britânicos. músicos à procura de um novo produtor: Dave Gahan e Martin Gore do Depeche Mode. Diz Gahan: "Havia vários nomes sendo jogados em nós (para produzir o próximo álbum de Depeche Mode depois do Songs of Faith e Devotion ), mas no final escolhemos (Simenon) porque Martin (Gore) e eu realmente gostamos do álbum Gavin Friday que ele fez. Shag Tobacco é um álbum absolutamente brilhante, (e) nós realmente amamos os sons que ele produziu".

O álbum resultante, Ultra , foi lançado em abril de 1997. Citado na biografia, Depeche Mode: Black Celebration, de Steve Malins , Simenon confessou: "Eu me senti arrependida pelo final da gravação, e continuei trabalhando em janeiro". e fevereiro de 1997, que foi a pior coisa que eu poderia ter feito. Eu comecei a me sentir muito mal. Então fiz uma pausa e tive alguns meses de folga. Eu estava mental e fisicamente exausto ”.

O trabalho em questão, que tomou a forma de sessões de gravação com Jack Dangers do Meat Beat Manifesto , não apareceria por muitos anos, deixando um novo single com Depeche Mode, " Only When I Lose Myself " como o último grande Simenon por muitos anos. : "Foi sem parar por mais de 10 anos, e eu acabei de me queimar. Tudo acabou de pegar, e cobrava seu preço; só me deixou sentindo muito, muito sem inspiração".

Década de 90 tornam-se anos 2000, tornam-se Electric Tones
O EP Tracks foi gravado em colaboração com Jack Dangers , do Meat Beat Manifesto , e o primeiro material Bomb the Bass a ser lançado pela Electric Tones. Com todas as faixas co-creditadas para Bomb the Bass & Jack Dangers , as sessões de gravação foram listadas como tendo ocorrido anos antes, em 1998. 

Future Chaos : Bomb the Bass no século 21
Pensou-se originalmente que " Butterfingers " (com Fujiya & Miyagi) seria o primeiro single lançado de Future Chaos , como um curta-metragem de animação para a faixa surgida no YouTube em março de 2008.  O clipe, que foi produzido por Perish Fábrica visualiza o novo som mínimo da banda, apresentando um Minimoog animado - como usado na faixa. 

Revendo "Butterfingers", o Daily Music Guide descreveu como " mostrar o novo plug Bomb the Bass direto em um lugar onde a fórmica desgastada é mais sexy que o couro, e LED vermelho é a fonte de todo o conhecimento. Tendo trabalhado por todos esses zeros e apenas para chegar a querer, Bomb the Bass aparentemente voltou para a frente, com o resultado sendo uma faixa que facilmente faz jus à soma de suas partes. " 

Bomb the Bass confirmou que iria realizar seu primeiro show em Londres em quase 20 anos, no London Astoria em 4 de junho de 2008; e também são anunciados como aparecendo no festival de dance music do Reino Unido, The Big Chill , em 2 de agosto de 2008, em Ledbury , Herefordshire e no festival de Zurique , Lethargy '08.

Em uma entrevista online com Tim Simenon [10] em maio de 2008, foi notado que Future Chaos seria finalmente lançado em agosto de 2008. Na mesma entrevista, Simenon comentou que o álbum demorou tanto para ser concluído, em parte porque ele queria mudar de direção, para assumir uma sensação mais simplista, menos confusa - necessitando de uma reinicialização e regravação.

De volta às prateleiras, Back to Light: BTB em 2009-10
Em setembro de 2009, usando o Twitter , Simenon revelou que o trabalho estava quase completo no seguimento do Future Chaos .  Por volta da mesma época e também via Twitter, Jakeone da Toob anunciou que tinha acabado de concluir tarefas de remix em uma nova faixa chamada The Infinites .

Culture Beat

29/10/2018


Culture Beat é um grupo alemão de eurodance formado em 1989 por Torsten Fenslau.O grupo passou por uma série de mudanças em sua formação ao longo do tempo, mas eles alcançaram o sucesso enquanto eram liderados pela cantora Tania Evans e o rapper Jay Supremo. Seu single "Mr. Vain", de 1993, foi um hit número um em 11 países europeus, e o grupo vendeu mais de 10 milhões de discos no mundo inteiro.


Origem e formação
Torsten Fenslau, que desejava se tornar um arquiteto, trabalhou como DJ na boate Dorian Gray em Frankfurt durante 11 anos quando decidiu formar o Culture Beat com seus amigos Jens Zimmermann e Peter Zweier.

1989–1991: Horizon
Seu primeiro single foi "Der Erdbeermund”, em alemão, cantado por Jo van Nelsen, e que alcançou a posição nº 11 na parada musical alemã. Versões em inglês e francês também foram lançados (intituladas "Cherry Lips" e "Les Lèvres cerises", respectivamente). Uma versão instrumental também foi lançada e tornou-se um hit nos clubes do Reino Unido, onde alcançou o número 55.

Pouco tempo depois, Torsten recrutou o rapper norte-americano Jay Supreme e cantora alemã Lana Earl para integrarem o Culture Beat. Enquanto o segundo single "I like you" alcançou o 22º lugar nas paradas musicais, seu quarto single "No Deeper Meaning" conseguiu chegar a quinta posição na Holanda e o terceiro lugar na lista RPM Dance Chart do Canadá. Eles lançaram em 1991 o primeiro álbum do grupo, Horizon, que teve repercussão razoável.

1993–1994: Serenity e o sucesso internacional
Em 1993 Lana foi substituída pela cantora britânica Tania Evans. A música "Mr. Vain" se tornou o maior sucesso do grupo até à data, chegando a número 1 em 13 países, incluindo Alemanha, Austrália e Reino Unido. Foi também o primeiro hit do grupo nos Estados Unidos, atingindo o 17º na parada Hot 100 da Billboard. O single foi certificado três vezes com Disco de Ouro na Alemanha, vendendo mais de 750.000 unidades, e também conseguiu o status

de ouro em vários outros países incluindo os EUA. No Brasil a música teve grande sucesso e integrou a trilha sonora internacional da novela Sonho Meu.

Os singles "Got to get it" e "Anything" também foram hits pan-europeus, e o segundo álbum, Serenity foi premiado no ECHO Awards por ser o álbum de um grupo alemão de maior vendagem no exterior, com mais de 2 milhões de cópias. Torsten Fenslau também foi nomeado pela Echo como o Melhor Produtor do Ano.

Em 6 de novembro de 1993, Torsten Fenslau morreu em um acidente de carro em Messel (distrito de Darmstadt) aos 29 anos de idade.

O grupo apresentou-se no Brasil em 1994 e a contaram com músicos brasileiros, dentre eles, Maurício Manieri (teclados), Sérgio Bartolo (Baixo) e James Müller (bateria).

1995–1996: Inside Out
Frank Fenslau, irmão de Torsten Fenslau, assumiu o cargo de gerente do grupo e coordenou em 1995 o lançamento do terceiro álbum chamado Inside Out. A faixa-título foi lançada como single em novembro de 1995 e alcançou o número 5 na Alemanha e número 32 no Reino Unido.

Em 1996 foram extraídos mais três singles: "Crying in the Rain", que alcançou o nº 8 na Alemanha e nº 29 no Reino Unido,"Take Me Away" e "Walk the Same Line" que foram mais discretos nas paradas.

1997–1998: Grandes mudanças e Metamorphosis
Em 1997, Frank decidiu direcionar o Culture Beat para um rumo musical diferente, transferindo o genero musical de dance para um som mais pop comercial. Ele também substituiu Tania Evans pela norte-americana Kim Sanders, que tinha atuado como vocal feminino no single "Impossible" do grupo Captain Hollywood Project.

Jay Supreme permaneceu após a saída de Tânia, mas durante a gravação do próximo álbum ele decidiu deixar o grupo e os vocais masculinos foram produzidos pelo rapper Next Up .

Lançado em 1998, o álbum Metamorphosis teve vendas menores do que os anteriores e permaneceu no Top 20 das paradas musicais de álbuns por apenas quatro semanas.

2001–atualmente: Singles e situação atual
Três anos mais tarde, a cantora britânica Jacky Sangster substituiu Kim como vocalista feminino. O single "Insanity", lançado em 2001, fracassou na Alemanha, no entanto, foi hit número 1 em Israel

Em 2003, para comemorar dez anos desde o lançamento do maior hit do grupo, uma nova versão de "Mr. Vain", intitulada "Mr. Vain Recall", foi lançada na Alemanha e chegou a nº 7 na parada de singles. Em 2004, foi realizado um pacote Greatest Hits como um plano para apresentar um álbum tendo Jacky como vocalista, mas o lançamento foi cancelado antes que o single "Can't Go on Like This (No No)" fosse divulgado.

Em maio de 2008, um novo single, "Your Love" foi lançado na Alemanha através Superstar Records. No ano seguinte Jacky apresentou-se no evento "Back 2 90´s", realizado na cidade de Riga, capital da Letônia, em 20 de março de 2009 ao lado de Ace of Base, Haddaway, Dr. Alban e 2 Unlimited.

Em janeiro de 2013, uma coletânea foi lançada, The Loungin' Side of, que contém versões acústicas e ao vivo de hits dos álbuns Inside Out e Metamorphosis.


Captain Hollywood

29/10/2018


Captain Hollywood Project é um grupo alemão de eurodance liderado por Tony Dawson Harrison.


Harrison, um capitão do Exército dos Estados Unidos, foi apelidado de Captain Hollywood, porque ele costumava dançar mesmo vestido com o uniforme. Ele começou na cena da break dance europeu, se apresentando no início dos anos 80 em canais de música como o Formel Eins. Ele representou a Alemanha no Festival de Cannes na estréia do filme de break dance Beat Street. De 1985 a 1987, Tony começou a produzir suas próprias músicas, lançando 3 singles e um álbum como Capitão Hollywood.

O maior hit no Brasil foi "More and More", lançado no país em 1993 e integrou a trilha sonora internacional da novela Sonho Meu.

Captain Hollywood Project


Aplicativos


 Locutor no Ar

Dj Fanatic (André)

Dj Bass no Stop!

Peça Sua Música

Name:
E-mail:
Seu Pedido:


Top 5

01.

Culture Beat

Take Me Away

02.

Not Real Presence

Chiki Chika

03.

Plaza

Yo - Yo

04.

Snap!

Believe The Hype

05.

Phenomania

Who Is Elvis

Anunciantes